sábado, 31 de março de 2012

INAUGURAÇÃO DA SEDE PRÓPRIA DA FUJ



Depois de 26 anos, um sonho realizado, nossa sede própria!

Sr.Ormindo, Vicente, Adonai, Cris, Branca, Bosco e D. Maria

O terreno já murado, doado pelo nosso querido fraterno Vicente, foi o início de tudo.




Todas as etapas foram importantíssimas.

Nossas primeiras pilastras doadas pela Elina Siqueira.
Guardadas há anos para a construção da FUJ.
Adonai e Elina Siqueira
Os nossos fraternos sempre colaborando de todas as formas.



Dia 16 de agosto de 2011, demos início a esta obra. 
O Bosco  administrou a primeira etapa da construção.



Assim que o Sandro finalizou esta etapa da construção, demos uma parada de duas semanas na Obra.

O Adonai conversando com a diretoria disse que há 25 anos tínhamos uma previsão de realizarmos nossas reuniões em uma caverna, pensou que isso seria possível quando ganhássemos um terreno lá por Presidente Figueiredo. Chegou a comentar nesta reunião que seria tão bom encontrar escultores profissionais que fizessem trabalhos em cimento ou algo parecido.

Nesta mesma semana, a Márcia Mesquita em busca de um dever de casa do seu filho Lucas, procurando alguém que trabalhasse com maquetes de isopor, encontrou o Sr José. 

Tudo começou a fazer sentido e pensamos, isopor? Por que não?
Começamos a insistir com o Sr. José para que pudéssemos levá-lo até Santa Etelvina.
E aí tudo começou a tomar forma.

Adonai e Cristina se responsabilizaram pela Obra a partir desta data.


Sr. José nunca tinha feito uma obra dessas. Mas aos poucos fomos conferindo nossas necessidades e quantidades de material.




Os primeiros blocos de isopor para esculpir nossa caverna.

Sr. Miltom, Adonai e Sr. José
 Dois excelentes profissionais foram colocados em nossas vidas para a realização do sonho da caverna.


Assim que a Obra recomeçou, conferimos que o telhado escolhido não era o ideal e tivemos que trocar tudo.

Encontramos um telhado mais resistente, com proteção térmica e redução de ruídos.
Fizemos a troca do telhado num final de semana intenso. 
 Sr. Miltom, Paulinho, Adonai e Cristina quiseram fazer surpresa para o grupo e 
assumiram a missão.


Depois do resultado final, decidimos fazer o varandão ( nosso puxadinho):


Todos os dias, de segunda a sexta, nossa alimentação era fornecida pela fraterna Alcenira:


 

Depois do telhado trocado, voltando para a Caverna:

Paulinho e Cristina começaram a passar massa acrílica e
a pedido do Mestre surgiu um mutirão.

Dez participantes trabalharam o dia todo para a conclusão desta etapa:
Sr. Miltom, Dió, Célia, Paulo, Cris, Thuany, Melo, Willian, Sr. José e Adonai que tirou esta foto.


Caverna quase pronta, começamos a preparar nosso terreno lá fora:
Paulinho todo feliz, começa a capinar os matinhos.

Cristina prepara o caminho com mdfs para não pisarmos mais na lama.

E aí, no dia seguinte, o Francisco começa a  nivelar o terreno:

Começaram nossas provações!

A chuva caiu forte e ficamos alagados:



Muita chuva, muitas críticas, mas resistimos e seguimos em frente.


Foram semanas difíceis. 
Nosso fraterno Melo, trouxe seu caminhão cheio de cascalho e 
na parceria com o Francisco foram buscar mais cascalho na vizinhança.


Alguns de nossos fraternos pensaram que não teríamos tempo hábil para recuperar nosso cantinho.




Mas, nossa perseverança e apoio de alguns voluntários que se uniram mais ainda,
fez com que tudo desse certo. 

Esta foi a fase da pontezinha lateral improvisada pelo Sr. José




Sr. Miltom assumiu a obra e sugeriu que assim
 que conseguíssemos nivelar o terreno, jogássemos areia branca e assim foi feito.




Gustavo e Roney passaram a trabalhar diariamente conosco e 
fizemos a canalização para o escoamento da água.



Providenciamos a mureta do varandão e o detalhe de fecharmos o portão com plásticos para criar o suspense da inauguração.

Aos poucos fomos concluindo nossas metas e nosso Mestre nos mostrou como queria que finalizasse a Caverna: passamos argamassa até 1,70m de altura.
Paulinho e Cristina

Drika e Gustavo
 Em seguida entrou a etapa da pintura no tom concreto para termos a ideia de pedra verdadeira:


Gustavo e Aldener

Novo mutirão para etapa final:




Fizemos um café da manhã coletivo e gratuito para todos.



Sr. Miltom ensinou  ao Roney a passar a massa corrida
e tudo foi feito com muito bom humor.



Durante a última semana, o tempo melhorou e enquanto o Paulinho se especializava em 
passar argamassa no rolo em todo nosso muro:



Adonai e Cristina pintaram o portão principal e as janelas:




Nossos pequenos fraternos Alex e Giovana também fizeram questão de participar:



A hierarquia nos fez encontrar a paisagista Érica, da empresa A Goiabeira que nos sugeriu antes de começarmos o jardim, colocar brita número um em parte do terreno e assim fizemos:


Logo em seguida, quer dizer, no dia seguinte, o jardim já estava sendo preparado.
Sr José (A Goiabeira) inspiradíssimo, com todo carinho criou nosso jardim espiritualista, começando
pelas duas palmeiras mini imperial.




Tudo foi criando forma e beleza. Como cantamos sempre:

DEPOIS DE TODA A TEMPESTADE,
SEMPRE VEM TEMPO BOM!



 No final da noite, sempre que possível, o Erivam, a Líliam e a Duda nos levavam um lanchinho especial:




No dia da inauguração, bem cedinho, comemoramos em equipe
a nossa correria e finalizamos o que faltava.


Sr. Aldenor nos ajudou a cortar os puffs de isopor:


Joelma e Cris se revezaram para ajudar o Sr. Miltom nessa etapa final.



Enfim, com a ajuda de todos os fraternos que participam da FUJ, conseguimos concretizar esse sonho!





Adonai e Cristina

Aldener, Sr. Milton, Gustavo, Cris, Roney, Adonai e Paulinho

Esta equipe voluntária esteve o tempo todo dia após dia, diariamente a partir das 7:00h até altas horas, 
para a realização desta inauguração.


Realizamos nossa inauguração e efetuamos o sorteio da TV de Led de 47" - LG


O escolhido para separar o papelzinho foi o Alex, 
aniversariante do dia.


O sortudo foi o Alessandro Dinelli!!!

Parabéns Alessandro e muito obrigado pelo apoio sempre presente.



Parabéns a FUJ pelos 26 anos!

Agora, um momento muito esperado, a visitação à Caverna:









Nossa lembrancinha como recordação da visitação à Caverna:


Agradecemos a todos pelo apoio para a realização desta Obra!

Em especial ao nosso fraterno Garotinho, falecido há um ano.

A partir das reuniões particulares que fazíamos na casa da D. Maria é que 
nos organizamos para que nossas reuniões da FUJ recomeçassem.


Valeu Garotinho! Estamos juntos!

2 comentários:

  1. Parabéns a todos que participaram da construção da FUJ. Mas uma etapa vencida. Quero agradecer aos Mestres Adonai e Cristina que me convocaram para participar dessa luta.Boa sorte !! Paulo Afonso Epifânio (Paulinho)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós é que agradecemos a você, meu filho, por tanta dedicação!
      Sua ajuda foi importantíssima, assim como a participação de todos os fraternos que direta ou indiretamente fizeram com que esse sonho fosse realizado. Que Deus te proteja sempre!

      Excluir